29 de jun de 2015

Chove lá fora e eu aqui dentro


Por que estou aqui? Nada me emociona, nada me corrompe, nada me machuca... Ou machuca? A meta é ser indestrutível. Mas sou de carne e osso. Tudo é tão estranho lá fora, tudo é uma perfeita ilusão de ótica. As pessoas vão e vem, sobem e descem. Conversando. Olhando para uma tela. Ligando. Desligando. Teclando. Respondendo. Visualizando. Esquecendo. Sendo esquecidos. Lutando. Vencendo.
E eu? Eu aqui. Ninguém nota, ninguém percebe!
Talvez seja esse o motivo. Aqui dentro é seco, quente, mas, vazio. Mas, um vazio completo. Um vazio cheio. Cheio de acontecimentos, alegrias, dores, mas, esperanças. ESPERANÇA. Ah! Esperança! Dizem que é a última a morrer. Por que provavelmente morrerá comigo!

Não sou obrigada a N-A-D-A

    Esse post faz parte da blogagem coletiva do grupo Blogs Up, e foi inspirado no vídeo que estará logo abaixo. Eu amei a ideia, por isso vim aqui falar para vocês o que eu não sou obrigada a fazer.
    Não sou obrigada por exemplo, a aturar a falsidade de certas pessoas. Falaram uma vez que sou muito sincera, e deve ser por isso que odeio falsidade. Acho horrível quando alguém age de um jeito quando está  perto de você, e depois age de outro totalmente diferente.

    Também não sou obrigada a seguir seu blog só por quê você seguiu o meu. Sério gente, não entendo por quê algumas pessoas fazem isso. Para mim, o que significa é a qualidade,e não a quantidade. Do que adianta ter centenas de seguidores, se nenhum demonstra que gosta do seu blog, não comenta, não faz nada, nem ao menos lê, é só um número?
    Não sou obrigada a seguir um padrão imposto pela sociedade que diz as características que devemos ter para sermos “bonitos” e de coisas a se fazer para sermos pessoas “normais”. Quem nasceu gordo, precisa emagrecer, quem nasceu com uma mancha, precisa removê-la, qualquer mínimo detalhe que vá contra o que nos é imposto deve ser tratado, removido, modificado? #NuncaSeIluda! Sou feliz do jeito que sou! É claro que todos temos insatisfações com o próprio corpo, mas devemos mudar por nós, para nos sentirmos bem, e não pelos outros.
    Enfim, essas são apenas algumas coisas de que não sou obrigada! Espero que tenham gostado!
E você? Não é obrigado a quê? Me conta nos comentários! 
    



27 de jun de 2015

Reserve um tempo para VOCÊ!


Parece até piada isso! Mas, não! Isso não é piada, é coisa séria! Na correria do dia a dia, acabamos esquecendo de reservar um tempinho para nós mesmas! E este esquecimento pode ocasionar muito estresse e falta de incentivo para realizar as tarefas diárias. Acredito que vocês já perceberam a importância desse tempo. Não? Pois, necessitamos antes de tudo saber. Ah? Mas como vou saber a importância dele? Simples. Pare e pense! Ou então, se você não tiver tempo, só pense! Preste atenção nas coisas simples: A sua rotina anda te desestimulando muito. Você acorda toda manhã e fica pensando: "Mais um dia... Tomara que acabe logo!" . Sem contar que geralmente você sai com uma make mal feita, ou por causa da correria você acaba nem se maquiando! Aquele seu sorriso brilhante e jovem se foi.... Se você apresenta esses "sintomas": Já esta passando da hora de você reservar um tempinho para você. E o que você vai fazer nesse tempo? Não sei. É, não sei. Você vai fazer o que você que te faz se sentir bem, seja ler um livro, fazer um piquenique, cantar, dançar, ir a academia, se maquiar, fazer brincadeiras infantis, enfim, vai de você! Dos seus gostos e preferências!

23 de jun de 2015

Diferencie com Luck Spike


Oi galera? Hoje vou trazer para vocês mais uma entrevista da série Diferencie. A entrevista de hoje é com o Luck Spike. Eu conheci o Luck em um grupo do Facebook, chamado, Afrers. Ele tem um estilo bem diferente. Mas o fato dele ter um estilo diferente não impedi dele ser uma pessoa legal! Então, por isso gostaria de que vocês conhecessem ele...


1. Qual o seu estilo? E como adotou ele?
Não tenho estilo definido, acabo usando muitas coisas diferentes conforme minha vontade... mas meu estilo passa perto do gótico, e é dele que tiro muita referência pros meus visus.


2. Você já sofreu algum tipo de violência física ou psicológica por causa do seu estilo? Se sim, fale um pouco sobre.
Nunca sofri violência, apenas comentários que ouço, no dia a dia inclusive, mas que já acostumei. Acho que apesar de tudo o povo ainda tem medo de mexer muito comigo por que não entende o que é, então zoa de longe só.



3. Você se inspira em alguém? Se sim, em quem?
Me inspiro em muitas pessoas, a maioria do exterior, que tem estilos que eu acho fodas. Dentre eles são a Samuel Nox, Raza Ward, Mechannical Skull, Tommy Liddell, Caligo Bastet, Marilyn Manson, etc. Fora isso acabo usando muita referência do tumblr, pinterest, google, e de estilos góticos como cybergoth, steampunk, deathrock, etc.


4. Nas ruas, como as pessoas reagem ao ver o seu estilo?
Tem de tudo xD. Tem desde velhinhas que param pra elogiar, mulheres que pedem pra tirar foto comigo, caras que perguntam se é gótico e fala que já foram, gente que pensa que sou punk mesmo não sendo parecido, mas também tem muitos que zoam, me chamam de capeta quando uso algo mais chamativo e estranho, acho que isso varia muito da pessoa e tem quem goste, quem não ligue, quem odeie. O importante é só aprender a lidar com as divergentes opiniões sem se sentir mal pelas ruins.


5. Existem pessoas que não aceitam diferenças, o que você diria para essas pessoas?
Como eu disse, tem gente que aceita e rejeita tudo o que quer, e acho que elas só precisam ver que não existe certo e errado, e que não sou "o diferente" e sim ela que é "a normal", afinal, todo mundo é diferente de todo mundo, só que a maioria escolhe se parecer.


6. O que você diria para alguém que não gosta de diferenças, seja de estilo, ou até mesmo o modo de pensar?
As pessoas não buscam a diferença, elas são naturalmente diferentes desde sempre e para sempre. O problema é que as pessoas tem mania de querer se "normalizar" sendo todas parecidas e pensando de forma comum, usando estilos e tendo gostos em comum, e isso acaba segregando mais do que agregando.


E então? O que vocês acharam? Espero que tenham gostado... Até a próxima.

21 de jun de 2015

Canais do Youtube Legais


Oi gente? Geralmente quando chega a sexta-feira meu corpo está pedindo urgentemente descanso. Mas, eu não vim aqui falar sobre o que meu corpo sente né?! rs Então galera, nas noites de sexta-feira eu aproveito para assistir os vídeos da minha lista de inscrições do youtube. Sendo assim, decidi mostrar para vocês os canais que eu acompanho.

1. Alice Salazar
Vou iniciar pelo meu hobbie favorito: Maquiagem. E sinto dizer que quase a maioria dos canais que sou inscrita são voltados para maquiagem. Eu simplesmente amo make. Não sei explicar, é um amor muito grande. E o canal da Alice eu conheci meio que do nada nas minhas navegadas pela internet. E foi amor à primeira vista. Os vídeos dela são super engraçados. Ela faz brincadeiras durante os vídeos. Sem contar que quase todos os vídeos ela ensina um truque novo, que você fica pensando: Nossa! Como não pensei nisso antes!


Acredito que desde da época em que eu fiz minha primeira tag aqui no DJS, eu falo que um dos meus blogs favoritos é o Super Vaidosa. Eu conheci esse blog faz uns 5 anos. Eu era bem novinha e já acompanhava o blog e amava o jeito que a Camila Coelho fazia suas makes. Super recomendo tanto o blog quanto o canal.



3. Garagem de Unicórnio
Agora vamos para uma coisa mais legal! SKATE. Então galera, eu sou super fã da Karen Jonz. Super admiro o trabalho dela. Inclusive já fiz uma postagem sobre a Karen, portanto nem vou falar muito sobre ela aqui.E é obvio que eu sigo ela nas redes sociais e principalmente no canal dela. O bom do canal da Karen é que ela não fala somente sobre skate. Ela faz vídeos com dicas, diy...




 4. Andressa Damiani
Eu conheci a Andressa do nada. Do nada mesmo, meio que o youtube me apresentou ela. (risos) E eu assisti um vídeo e adorei o jeito dela. Ela é super demais, super mesmo. Eu adoro o estilo dela. Na minha opinião é a coisa mais fofa do mundo. (Vocês podem até está pensando: Pera aí, Daiane falando isso?! Mas gente, não sei o que acontece, eu simplesmente amo as diferenças. E o estilo da Andressa não é desses que se encontra todo dia. Entendem né gente?) Então, no canal dela você encontra muitas coisas, sobre tudo, looks, alargadores, cabelo, makes, enfim... confiram!




Então, por hoje é isso! Espero que tenham gostado... Que tal você colocar nos comentários um canal  que você gosta e acha super legal? Bjs...

20 de jun de 2015

Respeito e tolerância religiosa no Brasil ainda é um caminho a se percorrer

Então galera, hoje o assunto abordado com vocês vai ser um pouco diferente do que eu costumo falar aqui. No sábado (6), eu compartilhei uma imagem no meu perfil do Facebook - vou colocar o print do compartilhamento abaixo - sobre pessoas que não creem que exista um Deus. 

E esse meu compartilhamento gerou um diálogo muito agradável com o meu atual professor de história Nicolau Neto pelo próprio bate-papo do Facebook. E durante esse agradável diálogo eu pensei em o próprio escrever um pequeno texto sobre respeito e tolerância a religiosidade no Brasil. 


E eis aqui o conteúdo:

 "Falar de repeito e de tolerância quando o assunto em questão é a religiosidade no Brasil não é uma das tarefas das mais fáceis. Seria mais simples nos expressar sobre o seu inverso, ou seja, a falta de respeito e a intolerância religiosa. 
Mas, você - caro leitor, minha leitora - saberia definir o que esses termos significam?  Intolerância nada mais é do que um termo que descreve uma atitude caracterizada pela ausência de habilidade ou pela falta de vontade em perceber nas crenças alheias algo digno de repeito. Em outras palavras, intolerância religiosa é, por tanto, a falta de respeito para com a religião do outro. É a velha ideia de que “o meu deus salva” e o “teu deus não”. 
Mas talvez você esteja se perguntando o porquê de ter dedicado alguns minutos do meu tempo para falar sobre isso, já que não tenho nenhuma religião e não sigo nenhum dogma. 
Calma, eu explico. Em primeiro lugar, falo do tema porque recebi o convite da minha aluna Daiane Santos, do Curso Técnico em Redes de Computadores para postagem em seu blog. Depois, porque não há como falar de religião sem me referir ao estado laico. Isso significa que o pais não pode e nem deve adotar nenhuma religião (mas isso ficou apenas no papel). Acrescento ainda quanto a laicidade do estado que por ele as liberdades de expressão e de culto são asseguradas pela Declaração Universal dos Direitos Humanos e pela Constituição Federal de 1988. São assegurados ainda o livre pensamento dos que não professam nenhuma religião e daqueles que partem do princípio de que deus não exista (Ateus). 
Porém, a falta de conhecimento dos documentos bases do Brasil fazem com que se tenha muito desrespeito para com nossos semelhantes. Muitas mortes foram cometidas em nome de Deus. Muitas religiões foram e são perseguidas por aqueles que se julgam “os donos da verdade” e, portanto, os “únicos a serem salvos”.  
Outros ainda têm a audácia de levantarem a voz e esquecendo um passado não muito recente e culparem as pessoas que cometem crimes de “não possuírem Deus no coração” ou não acreditarem na existência deste. 
É digno de registro ainda que não se pode praticar violência contra, ou ser contra algo que não se conhece ou só porque não faz parte do seu universo. Menosprezar a religião do outro e acreditar que a sua é a verdadeira é não perceber o outro como um sujeito de direito. Dizer que seu(a) vizinho(a), seu(a) amigo(a) e companheiro de jornada não acredita em nada só porque ele dúvida da existência divina ou não acredita que Deus possa existir é de uma falta de inteligência gritante e quem o(a) faz precisa urgentemente ter mais aulas de história e formação cidadã."

 Vocês devem está se perguntando: "Pra que Daiane trouxe esse material para a gente ler?" ou "Daiane nunca fala sobre assuntos "sérios", por que está falando agora?" Então, eu trouxe esse tema para vocês hoje por que diariamente vejo pessoas serem desrespeitadas e humilhadas pelo simples fato de não ter religião ou não acreditar na existência de Deus. E diante disso eu fico angustiada e revoltada por não poder desconstruir a mente desse individuo que humilha outro por esse outro ser diferente dele. Eu sei que a maioria das pessoas que conhecem e acompanham o DJS sabe que sou contra o pensamento que todas as pessoas devem seguir um determinado padrão ditado por uma mídia e sociedade altamente capitalista e sem senso comum e solidário. Portanto, essa é a minha opinião junto com o professor Nicolau.



Espero que vocês tenham gostado... Acredito que nunca fiz uma postagem tão grande. Mas é que vejamos, o assunto tratado requer uma grande quantidade de linhas.

17 de jun de 2015

Amor de irmão

Oi gente? Esses dias eu tava procurando textos legais e encontrei um post de um site falando sobre irmãos mais velhos. Eu já falei aqui várias vezes sobre meu irmão e o tanto que ele me influenciou(e influencia!) Só que eu nunca fiz um post falando especialmente sobre Amor de Irmão. E hoje é o dia de falar sobre este assunto...


Eu não sei se você tem dois, três, quatro, dez, vinte... enfim, a ideia deste texto é dizer que independente da quantidade de irmão que você tenha a essência do texto vai continuar. Eu tenho somente um irmão. E quando eu era mais nova(época em que ele morava comigo!)
 eu o odiava! Sério! Eu odiava meu irmão. Ele é mais velho e meus pais sempre cobrava mais de mim do que dele. Sempre tinha que fazer tudo e nunca poderia desobedecer meus pais nem fazer nada errado... E isso me fazia odiar meu irmão. Daí, ele ficou mais velho, encontrou o amor da vida dele e casou. E foi embora. E nos primeiros dias (e primeiras semanas também!) eu tava amando ele ter ido embora.... Só que as semanas foram passando e eu fui crescendo e ai eu percebi a falta que ele me faz. Eu sinto falta de tudo, até das brigas e confusões que a gente arrumava.
E só depois de sentir falta dele, eu percebi o quanto ele é importante para mim. Apesar de eu ser mulher e ele ser homem, a gente tem uma amizade muito forte. Ele fala sobre tudo comigo, desde uma partida de futebol até aquela base que eu amo... (risos) Mas, o que isso significa? Significa que mesmo que você brigue, fique chateada, tenha ódio, os irmão sempre vão ser irmãos! E o importante é prevalecer uma amizade por que eles sempre vai estar com a gente seja nos momentos bons ou ruins.

16 de jun de 2015

Diferencie com Nick Clons


Oi gente? Hoje eu trouxe uma coisa muito legal para vocês! Quem acompanha o DJS sabe que eu sou totalmente a favor das diferenças. Eu gosto de saber que no mundo existe pessoas que pensam diferente de mim. Gosto mais ainda quando essas pessoas também aceitam ideias contrárias a que eles pensam... Enfim, acredito que um mundo melhor é construído de pessoas que pensam diferente e constroem um mundo sem rótulos e preconceitos. Nessa linha de pensamento, vou iniciar uma série de entrevistas com pessoas "diferentes". Pessoas que pensam diferente, e com maneiras simples fazem a diferença! A primeira pessoa escolhida para estreiar a nossa série foi Nick Clons.
O principal objetivo dessa série é que vocês aprendam (ou pratiquem cada vez mais!) que pessoas com estilo diferente do seu(a) são pessoas semelhantes as outras. E que só basta a gente aprender a conviver com elas, sem rótulos e sem preconceitos.


1. Qual o seu estilo? Como você o aderiu? E o que você não viveria sem?
Eu não faço parte de uma tribo urbana, meu estilo é alternativo, eu me inspiro em vários estilos pra ter o meu próprio, alguns exemplos são: Scene Kid, emo, human doll, indie, eu já fui adepta de vários estilos assim eu descobri que minha personalidade é muito variada pra me prender a uma coisa só. Sou bem flexível mas não gostaria nenhum pouco se de repente tivesse que viver sem as roupas que eu to acostumada, se me impusessem um padrão por exemplo.

2. Como seus pais aceitaram o seu estilo?
Nunca tive problemas com aceitação, ser assim alternativo, diferente do padrão é algo de família, na verdade minhas maiores influencias foram meus pais.


3. Você se inspira em alguém? Se sim, em quem?
Já tive muitas inspirações na adolescência, hoje em dia posso dizer que não me inspiro em pessoas, pelo menos não no aspecto visual, eu me inspiro nas tendências e os estilos que já citei, mas no aspecto comportamento me inspiro na atriz Angelina Jolie. Admiro muito ela como mulher.

4. Qual a sua opinião sobre "pessoas modinhas"?
Acho que são apenas pessoas jovens que ainda não se descobriram, não possuem personalidade formada e se impressionam facilmente, o que as leva a quererem ser adeptas de tudo que estiver em alta. É normal. Quando se fala de "fase passageira" é disso que se referem, desse estado de confusão em relação a estilo e comportamento.


5. Você já passou por alguma situação de preconceito por causa do seu estilo em que ficou triste ou até magoada por causa dessa situação? Se sim, descreva a situação e o que você aprendeu com isso.
Já jogaram coisas em mim na rua, falaram palavras que pra eles seriam ofensivas, a muito tempo atrás eu me chateava com isso, hoje em dia quando acontece eu tenho pena da pessoa, por ser ignorante e não ter tido a oportunidade de conhecer outras culturas, de outros países ou até outros estados.

Para finalizar, o que você diria para uma pessoa que não aceita diferenças?
Aprendi que o importante é viver a vida da melhor forma possível pra si. Pra quando chegar a uma idade avançada olhar para trás e ver que o tempo que passou não foi em vão, foi bem aproveitado, sonhos foram realizados. Aprendi com o tempo que tenho que viver pra mim e por mim.



Facebook: Nick Clons
Youtube: Nick Clons


Espero que vocês tenham absorvido muita coisa legal com ela. Gostou da entrevista? Deixa sua opinião aí nos comentários... bjs! :)

15 de jun de 2015

Por que não errar?


Sempre é assim, você tenta fazer tudo direito. Tudo do jeito que tem que ser, mas você não é a mulher maravilha, nem o super homem. E aí você vai errar. Seja uma palavra dita da maneira errada, um trabalho entregue fora do prazo, um evento que você não vai, um amigo que você não consegue ajudar ou até mesmo uma escolha errada que só vai te trazer dificuldades, sofrimento e principalmente, arrependimento. E é nessa hora que a maioria das pessoas fica lhe julgando. Dizendo que você não era para ter feito isso, nem aquilo. E você não sabe o que fazer, nem o que dizer. A única reação que consegue fazer é ficar calada(o), com a cabeça baixa, pensando no que fez e/ou no que deixou de fazer.
Só que meu caro(a), a vida não veio com manual de instruções. Você não é perfeito(a), nem prevê o futuro... Portanto, erre! Erre uma, duas e se preciso até três vezes. Mas, erre com a certeza de que você vai aprender alguma coisa com seu erro. E que esse erro vai lhe ajudar de alguma forma... Já ouvi dizer que a gente aprende mais errando do que sempre acertando. Ah, mas e se me julgarem? Se te julgarem, liga o botão do foda-se e pronto. Os outros são só os outros. A vida é sua. Os erros são seus... Olha a sua vida com olhos positivos e tudo vai dar certo.

10 de jun de 2015

Fotografias: Natureza

Fotografar é a arte de eternizar momentos, sentimentos, e emoções. E é por isso que eu amo demais praticar essa arte.  Como li em uma frase de quem não conheço o autor, "uma boa foto é aquela que abre sua imaginação, que traz emoção", por isso adoro fotografar pessoas, objetos, coisas de que gosto, e principalmente a natureza. Venho tentando a cada dia melhorar. Com a correria do dia-a-dia não estava conseguindo tempo para fotografar, mas tive uma oportunidade e hoje venho mostrar o resultado para vocês. Espero que compartilhem ao menos um pouco das minhas emoções, e que gostem também!

(Essa é a minha preferida!)








É isso pessoal, gostaram ou não? Deixem nos comentários, sua opinião é muito importante!
Já fiz outro  post com algumas fotos minhas, se quiser ver é só clicar aqui!

8 de jun de 2015

Campanha: Chega de fiu fiu!

   Oi gente! Hoje eu vim falar para vocês sobre uma campanha que eu super apoio, a Campanha Chega de fiu fiu! Já faz um tempinho que essa campanha existe, mas eu só conheci há alguns dias. Ela foi feita para combater qualquer tipo de assédio, tanto físico quanto verbal, contra as mulheres, e tenta mapear os lugares mais perigosos para as mulheres no Brasil.



   A campanha funciona assim: você pode relatar qualquer tipo de assédio se tiver sofrido, colocar o local em que aconteceu, mas vai ficar em anônimo. Eu li vários relatos e fiquei abismada com alguns. Para convencer mais ainda vocês, aí vão alguns dados e relatos:

Dados:

  • 48% dos assédios são verbais.
  • 68% dos assédios acontecem durante o dia.
  • 83% das mulheres NÃO acha cantadas legais.
  • A vítima mais jovem tinha apenas 7 anos!
Relatos:

  • Assédio verbal: Andando para ir ate a padaria, espero o sinal para pedestres ao lado de um vendedor de abacaxis. Ao atravessar a rua, ele começa a me seguir e a me dizer coisas chulas em relação a minha vestimenta e ao meu corpo. Me senti constrangida, mas não respondi...pois o dito-cujo estava com um faca na mão e eu fiquei com receio. Dei sorte de ter chegado rápido na padaria.
  • Assédio fisico: Eu estava voltando de uma festa de onibus, era umas 5:30 da manha e eu ainda estava um pouco embriagada e acabei cochilando de pé, apioada perto da porta do onibus. Entao, senti algo que parecia uma barba roçando na minha boca e acordei com um cara (que deveria ter entre 25 e 30 anos) tentando me beijar. Na hora nao acreditei que aquilo podia estar acontecendo e só consegui fingir que estava coçando o nariz para que ele nao tentasse me beijar de novo. Logo depois ele desceu do onibus e eu fiquei paralisada sem ter certeza do que tinha acontecido. Só tive a confirmaçao de que aquilo realmente tinha acontecido quando outro homem passou por mim para descer do onibus e me avisou para tomar cuidado.
  • Assédio fisico: Peguei um ônibus no Terminal Santo Amaro (Linha 546L-10: Jd. Luso/Terminal Santo Amaro) por volta das 7h em direção a minha casa. Como estava cansada por ter vindo de uma festa, não passei pela catraca, só sentei no primeiro banco que vi e fiquei quieta esperando o ônibus partir. Em seguida, um homem entra no mesmo ônibus em que estou, e mesmo com vários lugares vagos, ele faz questão de sentar ao meu lado e começou a me encarar. Ao notar essa tentativa de aproximação, coloquei meu fone de ouvido e comecei a olhar pela janela fingindo que não era comigo, porque sabia que eu começaria a chorar a qualquer momento se mostrasse que estava incomodada com aquilo. O ônibus partiu e ele continuou do meu lado, em certo ponto da viagem ele começou a tentar falar comigo, dizendo que seu nome era Douglas, perguntando qual era o meu nome, minha idade, se eu estava vindo de festa 'para estar arrumada daquele jeito', que eu era muito linda, se eu não queria 'passar um tempo com ele/dormir com ele hoje', etc. Continuei a fingir que não era comigo quando ele começa a passar a mão pelo meu braço, minha coxa, a acariciar meu cabelo, nessa hora eu o empurrei com tudo e levantei para passar na catraca, correndo para o fundo do ônibus e me escondendo. Pouco tempo depois, ele passa a catraca e vem direto pro meu lado, continuando a falar que eu era linda, que queria o meu número e que a gente deveria ir mesmo para algum lugar depois dali. Nisso, eu me irritei e mandei ele se tocar e resolvi descer do ônibus mesmo não sendo o meu ponto para ter um pouco de paz, mas nessa hora ele decidiu vir atrás de mim mais uma vez e me puxou com tudo pelo pulso para ir com ele sabe-se lá aonde e nessa hora eu já não conseguia mais segurar o choro. Comecei a gritar pedindo ajuda para o cobrador, que na mesma hora o segurou enquanto eu descia correndo do ônibus, atravessando a avenida sem olhar para os dois e pegando outro ônibus para casa chorando mas feliz por não ter acontecido nada a mais.
                                   
Se quiser ir ao site da campanha, é só clicar na imagem acima! Esse foi o post de hoje, espero que tenham gostado! 

7 de jun de 2015

Resenha: Princesa Adormecida

    Oi gente! Hoje vou fazer a resenha de um dos meus livros preferidos ultimamente: Princesa Adormecida, de Paula Pimenta. Esse livro super fofo e romântico é uma adaptação do conto de fadas A Bela Adormecida, a autora conseguiu trazer para os dias atuais uma história que já conhecemos bem. Ele possui uma linguagem simples, elementos modernos, e uma narrativa bem envolvente, que prende a sua atenção (ainda mais se você for uma pessoa romântica, rs). Resultado: li o livro em menos de 4 horas!

    O livro gira em torno de Áurea, uma linda princesa que ainda criança tem sua vida ameaçada por alguém do passado de seus pais. Para conseguir salvar a sua vida das garras da mulher, ela é enviada ao Brasil para viver com seus tios como uma menina normal. No entanto, passa boa parte de sua vida trancada.

    Eu fiquei encantada pelos personagens. Rosa/ Áurea é uma menina linda, meiga e doce. Phill é um menino lindo, apaixonante, e um verdadeiro príncipe! Clara é a melhor amiga de Rosa, ela é uma menina muito especial que queria o melhor para sua amiga. Também amei a diagramação. Os diálogos são colocados em caixas quando são mensagens de textos no celular, quando são conversas na sala de aula tem as folhas de caderno e quando é do computador tem a imagem do personagem. Páginas com as reportagens nos jornais também ganham um espaço e são colocadas como se fossem mesmo noticias.

    A única coisa que achei que faltou foi aprofundar em alguns detalhes e explorar um pouco mais do relacionamento entre Phill e Áurea. Mas fora isso, amei o livro, que é super fofo e apaixonante, e nos faz ter vontade de encontrar um príncipe igual ao Phill, realizar as mesmas conversas fofas que ele  e Rosa tinham, e principalmente, ter um final feliz.



Em uma parte do livro, a música Rainbow, de Colbie Caillat é citada, por isso trouxe-a também para que vocês possam dar o play e entrar no clima de Princesa Adormecida!
                       

É isso, espero que tenham gostado! Já leu, ou quer ler? Deixe nos comentários, vou adorar saber!

6 de jun de 2015

Aquelas conversas


- Oi
- Oi
- Tudo Bem?
- Sim e você?
- Tô bem, e aí novidades?
- Não, e você?
- Também não.

[...] FIM

Quem nunca teve uma conversa desse tipo? Muitas vezes, principalmente pela redes sociais (Facebook, WhatsApp, etc) acontece conversas deste tipo. A maioria delas não fazem a menor diferença no nosso dia-a-dia, e não é sobre essa "maioria" que eu quero falar hoje. Eu quero falar sobre aquela minoria, sobre aquela mensagem daquela pessoa que a pouco tempo atras era muito importante para você. Daquela pessoa que passava horas falando com você. Conversas estas que iniciavam de um "Bom dia" e terminava em um "Boa noite, durma com os anjos".
Era conversas tão longas, tão saudáveis, tão alegres... E agora... Agora, é só mais uma de tantas pessoas que vem falar com você, e você esta sem assunto ou simplesmente não quer responder. E quando você visualiza uma conversa desse tipo você fica pensando "Nossa era tão bom. Por que acabou?" E aí bate uma saudade, e fica lembrando de como acabou. Uma briga, discussão, enfim, não importa como foi. O que importa é que agora já não é como era antes. E mesmo assim você sente saudades.
E por que eu estou falando isso com você? Por que os momentos que você passou com a pessoa foi bom. Não estou falando relacionado somente a namoro, mas a amizade também. Você foi feliz com essa pessoa então, se for possível, Conversa com essa pessoa direito. Puxa assunto... As vezes ela esta só esperando um "Oi? Como Vai? Estou Bem! E aí, cadê fulano? Você ainda gosta disso?" Enfim, deixa de ser orgulhosa(o) e responde direito a mensagem. Deixa de bancar a durona e começa uma conversa legal com essa pessoa que um dia foi especial menina!


Então, por hoje é isso. Espero que tenha gostado, e se gostou ou não gostou deixa nos comentários ai deixando a sua opinião. Opiniões sempre são bem vindas! :) 

3 de jun de 2015

Decisões


Oi Gente? Esses dias na minha escola está uma correria. Por causa da feira de ciências que está se aproximando. Eu sou do tipo de estudante que gosta de fazer tudo e estar em tudo. E felizmente (infelizmente!) os professores da minha escola constroem projetos muito bons! Então, eu me deparei com uma enorme decisão: Em qual projeto irei ficar? Diante disto, eu comecei a pensar: Nossa! A vida é cheia de Decisões.
Desde de coisas simples, como, que roupa vestir, o que comer. Até coisas complicadas, como, qual carreira escolher, qual faculdade cursar. Uma antiga amiga minha falava assim: "A escola lhe ensina a lição para somente depois aplicar a prova. A vida, lhe aplica a prova, para só depois lhe ensinar a lição". Nas decisões da vida é como nessa frase. Um "não"  que você dá pode levar-lo para lugares tão diferentes se você tivesse falado um "sim". Uma decisão tomada da forma errada pode gerar consequências enormes! Portanto, a melhor coisa a se fazer é sempre pensar bem. Pesar todas as consequências, desvantagens, vantagens, enfim, tudo o que poderá acontecer se você tomar quaisquer decisão. O segredo é refletir!

Curtinho né? Esse era somente para refletir... deixa aí nos comentários alguma situação de indecisão que você já passou. Até a próxima!

2 de jun de 2015

Lágrimas

   Lágrimas. Lágrimas que escorrem silenciosas pelo rosto da menina pensativa. Apenas lágrimas, mas que podem significar muita coisa. Ela pode estar sofrendo, pode estar com raiva, pode estar triste, pode estar feliz, pode estar emocionada, pode estar com saudades, são inúmeras possibilidades.


  Porém as lágrimas não mostram por quê estão ali, apenas cumprem o seu papel. Mas qual é o papel das lágrimas, afinal? Aliviar os sentimentos, mostrar ao mundo que você está sentindo algo ou apenas transbordar quando se chega limite e já não se aguenta mais? Não sei, só sei que elas estão sempre presentes no olhar daquela menina, são meio que companheiras inseparáveis dela. Por mais que ela queira expulsá-las e escondê-las, elas sempre dão um jeito de aparecer. Mas é que aquela menina possui muitos sentimentos, e quando o sentimento é demais, escorre pelos olhos. Deve ser por isso que dizem que os olhos são a porta da alma.
   A menina continua pensativa, e as lágrimas continuam silenciosas e misteriosas, assim como ela quer que elas sejam. Mas logo logo, pensando nas pessoas que se preocuparão se a verem assim, ela vai secar as lágrimas, levantar a cabeça e pôr um sorriso no rosto. Pelo menos enquanto ela aguentar.

1 de jun de 2015

Eu quero um final feliz

Oi gente? Como vocês estão? Parece até que eu sou nova aqui! (risos) Então gente, o DJS passou um tempo inativo, mas como prometido, aqui estamos! E então, vamos começar?


Eu aprendi com as circunstâncias da vida que não é muito bom ser romântica. Mas, acontece que dentro de mim ainda tem uma garota que é muito romântica. E deseja muito ter um final feliz. Ela quer encontrar uma pessoa que a faça suspirar, que lhe faça perder o fôlego. Que seu coração bata forte só em pensar que está com essa pessoa. Que todas as dificuldades sejam enfrentadas juntas, que o amor nunca acabe. Que nada faça com que esse amor acabe...
Só que essa garota está todo dia pensando: Será que isso é possível? Será que isso só ocorre em novelas, filmes, livros, e contos infantis?
Sinceramente, as vezes acho que um dia pode acontecer. Mas, bem que podia acontecer logo. Afinal, o mundo fica tão mais colorido quando a gente ama e é amado.
O amor colore a vida de uma forma tão magnífica. A tempestade vira chuva de verão. Sentir o medo passar só em sentir os dedos da pessoa se entrelaçando aos seus. Enfim, a vida parece ter mais graça.

Mas, enquanto não acontece só me resta esperar e aguardar ansiosamente... 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Dois Jeitos de Ser - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: Daiane Santos ¬ Vitória Alves.
Tecnologia do Blogger.