28 de set de 2015

A importância de uma fotografia

 
Esses dias vendo o clipe Photograph, de Ed Sheeran, comecei a pensar qual era a importância de uma fotografia. Bom, para mim, uma fotografia é muito importante porquê com ela podemos registrar momentos marcantes da nossa vida, mas também podemos registrar apenas os detalhes do cotidiano, tudo isso a partir da nossa visão sobre aquilo.
   Podemos guardar cenas para que elas permaneçam vivas na memória, e também no papel. Podemos mostrar que qualquer coisa pode ter seu lado bonito, depende do ponto de vista. Podemos quebrar barreiras e tabus, emocionar, relembrar, conscientizar, ou até trazer alegria. Podemos nos expressar, ensinar e aprender.
   Com uma fotografia poderemos no futuro "reviver" algo que nos fez feliz no atual presente. Enfim, por tudo isso, uma fotografia é muito importante para mim. Mas e aí, quanto vale uma fotografia para você?

18 de set de 2015

Links da semana #2

Há alguns dias, eu publiquei aqui um post em que eu indicava para vocês os meus links favoritos da semana, e vou continuar postando sempre que tiver algo interessante para compartilhar com vocês. Por isso, hoje eu trago os links da semana #2! Se quiser conferir o primeiro post é só clicar aqui. Agora vamos aos links!

1. 10 receitas de produtos famosos que você pode fazer em casa.
Vocês sabiam por exemplo, que é possível fazer nutella em casa? Eu não sabia, e quando encontrei esse post que ensina como fazer esse e outros produtos famosos em casa, fiquei louca para testar!

2. Como sair melhor em fotos, de acordo com seu tipo físico.
Muita gente não gosta de tirar foto por conta de algum defeito, né? Então, nesse post, eles ensinam como sair melhor nas fotos, de acordo com seu tio físico. São dicas bem legais, mas cuidado para não ficar obsessivo pelos padrões de beleza!

3. Se ame mais! 
Neste texto maravilhoso, a Andressa fala que temos que aprender a nos amar do jeito que somos. Eu amei esse texto por quê sempre tive a auto-estima baixa, e agora estou tentando acabar com isso, já até fiz um post sobre se amar mais também. Quem quiser conferir é só clicar aqui.

4. Os filmes que chegam ao cinema em setembro.
Quem aí também adora assistir filmes? \o/ É sempre legal saber quais filmes serão lançados, e neste post do Depois dos Quinze o Jefferson Souza nos conta todos os lançamentos.

5. Fotografias transformadas em hipnose.
Eu amo fotografar, então tudo que tem relação com isso me fascina. De vez em quando, a Kelly do blog Caligrafando-te traz um post sobre alguma série fotográfica que ela conheceu, e essa foi uma das que eu mais gostei! O conjunto dessas fotografias se chama The World Through My Eyes, que significa "O Mundo Através dos Meus Olhos". O maior desejo do artista é poder compartilhar com as outras pessoas o que ele vê através da sua visão danificada.  São imagens lindas, a página demora um pouco a carregar os gifs por uê eles são meio pesados, mas vale a pena esperar!

6. Blogando: ideias.  
Quem é blogueiro muitas vezes sofre com a falta de inspiração. Pensando nisso, a Jenny do blog Little Wonders fez um post com ideias tanto de postagens quanto de nomes para blogs! São dicas muito legais, de posts e nomes diferentes do que a gente está acostumado a ver por aí! Eu não poderia deixar de indicar, e até vou usar algumas das dicas dela, rs!

7. Mais respeito, por favor!
Aqui, a Gabi fala sobre o respeito ao próximo. Eu acho muito importante falar sobre isso por quê hoje em dia (na verdade sempre, infelizmente), muitas pessoas julgam as outras, e não aceitam as diferenças. Tudo bem você ter opiniões diferentes dos outros, mas não é por isso que você deve xingar nem maltratar ninguém! Todos devemos respeitar uns aos outros, senão o mundo não terá paz nunca!

8. 5 aplicativos para te ajudar nos exercícios. 
E no último, mas não menos importante link, a Bárbara, do Love is colorful , mostra 5 aplicativos que ajudam muito na hora de fazer exercícios. São aplicativos bem legais, e que com certeza vão melhorar muito a hora de fazer exercícios!

Então, esses foram os meus links preferidos da semana , espero que tenham gostado!


14 de set de 2015

Playlist: Minhas músicas do momento



Oi gente! Hoje eu trouxe para vocês uma pequena playlist com as músicas que eu mais tenho ouvido no momento. Como sempre, músicas bem diferentes uma da outra, desde Whindersson Nunes à Avril Lavigne. Enfim, espero que gostem, vamos conferir a playlist?




1- Tão linda- Whindersson Nunes.
2- Não quero colocar nome nessa música- Whindersson Nunes.
3- Cor de marte- Anavitória.
4- Rainbow - Colbie Caillat.
5- Cores- Anavitória.
6- Wish You Were Here- Avril Lavigne.
7- Rock N Roll- Avril Lavigne.

11 de set de 2015

Inspiração: tattoos para irmãos

Dia 05 de setembro foi o dia do irmão, e, mesmo que beem atrasada, eu não poderia deixar de fazer um post em homenagem à isso. Afinal, por mais que os irmão muitas vezes sejam chatos, te façam pagar micos, coloquem a culpa de tudo em você e muitas outras coisas, eles nos amam, e a gente ama eles também, né? A bagunça com eles é sempre maior, e é sempre uma relação de amor e ódio. Mas que tal eternizar na pele essa relação? Pensando nisso, eu trouxe algumas inspirações de tattoos super legais para você e seus/suas irmãos/irmãs se inspirarem.

1. Estrela e lua: as duas possuem brilho próprio, mas juntas ficam bem melhor, assim como você e sua irmã!


2. Essas brincaram com a quantidade de irmãs, mas e número romano.


3. Por quê um baralho só é completo com seus 4 naipes.


.
4. Frase: "No tempo calmo ou tempestuoso... Nós nunca seremos levadas pela correnteza separadamente".


5. Se todas possuem o nome com a mesma inicial, que tal brincar com a ordem de nascimento?


6. Aqui elas escreverem quem é irmã mais velha e a mais nova dentro do símbolo do infinito, que é formado também por uma pena.


7. A palavra irmãs dentro de um coração e um símbolo do infinito juntos.


8. Que tal tatuar uma palavra que signifique muito para vocês? Elas tatuaram a palavra fé.


9. Frase: "Aonde você for, eu irei... Onde você ficar, eu ficarei". 


10. Essas três irmãs também brincaram com a ordem de nascimento delas.


11. Frase: "Não existe melhor amiga que uma irmã... E não existe melhor irmã que você".


12. Batimentos cardíacos.


13. O sol e lua vieram acompanhados da frase: "Você vê toda a minha luz... E você ama toda a minha escuridão".


14. Frase: "Sempre juntas, nunca separadas... Talvez na distância, mas nunca no coração". 


15. Aqui cada irmã é representada por uma parte do quebra-cabeça, que fala quem é a irmã mais velha, a do meio, e a mais nova.


Então é isso, espero que tenham gostado das inspirações!

Obs.: todas as imagens foram retiradas da internet, caso você seja autor de alguma delas, é só entrar em contato comigo que eu lhe darei os devidos créditos.

9 de set de 2015

Resenha: O código da Vinci, Dan Brown



Quem lembra do meu desafio das férias? Hoje vim resenhar outro livro que era para ser lido nas férias... mas, infelizmente não consegui! :( E acabei lendo depois mesmo! Se você não viu o meu desafio é só clicar aqui e assim saberá como ele funciona. Mas, vamos a resenha?

Sabe aquele livro que você lê o capítulo 1. Termina. Lê capítulo 2... 3.. 4... até chegar ao último capítulo e quando passa a página pensa "Como assim? Já? Mas como? Eu nem notei que estava acabando!" Com exceção da frase do pensamento, aconteceu isso comigo! 'rs

'Mas, como assim Day? Você não pensou isso?' Não! Eu não pensei isso! Eu falei(quase gritando!). É, meus/minhas caros(as). O código da Vinci é exatamente este livro. O livro que é um pouco grosso, mas a história é tão fascinante que quando chega a última página você só sente vontade de fazer uma releitura. O autor dessa preciosidade é Dan Brown. Autor considerado uma das 100 pessoas mais influentes pela Time Magazine.

O Código da Vinci é uma continuação das aventuras de Robert Langdon. Um mero professor de simbologia de Harvard. Mas, como um mero professor tem aventuras tão boas ao ponto de prender o leitor até a última página? A história é simplesmente encantadora. No Código da Vinci, Robert tem a difícil missão de decifrar uma mensagem criptografada deixada por Jacques Sauniere  - curador do Museu do Louvre - que foi preparada quando estava no seu leito de morte. Jacques Sauniere foi butalmente assassinado e Robert foi incriminado atras desta mensagem. Desta forma, Robert contava dois grandes problemas: decifrar a mensagem e livrar-se da acusação. Para isso, ele conta com a ajuda de uma bela moça, que era neta de Jacques e criptográfa da Polícia Francesa.

A partir daí inicia-se uma aventura cheia de encontros e desencontos que a cada capítulo revela informações que o leitor se prende ao texto de uma forma tão fixa que o livro acaba em um improviso.


O Código da Vinci é uma série! Portanto, existe mais livros sobre as aventuras de Robert. Inclusive, o OCV é o segundo livro. O primeiro é Anjos e Demônios. Já estou realizando a leitura do mesmo, portanto, aguardem. Vai ter resenha!

7 de set de 2015

7 on 7: Cores

   
E hoje é dia de 7 on 7 obaa \o/ ! E o tema escolhido esse mês foi CORES! Eu adoro coisas coloridas, então adorei fazer essas fotos! Eu só achei que poderia ter usado melhor minha criatividade, mas o tempo não me permitiu. O importante é que as fotos estão aqui, né?
    Eu procurei tirar fotos bem coloridas, com várias cores diferentes em objetos do dia-a-dia. Se quiser conferir as fotos dos outros meses, é só clicar aqui e aqui.
    Ah, e eu acabei esquecendo de falar aqui no blog, mas em agosto eu participei de uma série chamada Olhares, no blog Reflexões de Lucélia Muniz. Eu fui convidada pela autora do blog, Lucélia, que é minha ex-professora e amiga. Então se quiserem ver é só clicar aqui. Agora vamos conferir as fotos?

1- Tintas e pincel da minha irmã, rs.

2- Essa foi meio que sem querer, rs. Minha irmã estava brincando com um monte de papel crepom, eu tirei a foto e adorei!

3. Meus pinceizinhos. 


4. Mais uma vez as tintas da minha irmã.

5. Uma parte da minha paleta de sombras.

6. Meus lápis de cor.


7. E olha o papel crepom de volta!


Espero que tenham gostado das fotos. Vem conferir as fotos dos outros participantes também!

2 de set de 2015

Moça, não tenha medo de ficar molhadinha!

Oi galera! Hoje eu trouxe um texto muito legal que eu vi no blog Café com glitter. Quem quiser ler o post lá é só clicar aqui. Porém a autoria não é deste blog. É de um cara chamado Ricardo Coio. Portanto, todos os créditos reservados. Mas, vamos ao texto? BORA!



Para conseguir o telefone dela, meu caro, eu fui obrigado a matar duas pessoas (sendo que uma delas tinha menos de quatro anos), a invadir o sistema operacional da NASA e a vender dois terços do meu rim no mercado negro. Brincadeira! Porém, eu confesso: não foi nada fácil. Você nem imagina a quantidade de pauzinhos que eu precisei mexer só para conseguir os oito números que separavam o meu “Alô” do “Quem é?” dela. Mas eu, bravamente, valendo-me de toda a minha insistência tupiniquim, consegui. E não parei por aí: depois de três ligações e de utilizar todo o meu repertório de gracejos telefônicos, eu a convenci a passar um domingo inteiro comigo.

Depois de algumas unhas roídas, dias infindáveis e muitas expectativas criadas, eu, perfumado e de camiseta nova, estacionei o meu carro em frente ao portão da casa dela. A moça demorou mais de quarenta minutos para aparecer, mas, até aí, nada capaz de surpreender um homem que já foi a outros encontros antes.



“Qual será o nosso roteiro?“, ela me perguntou, depois de ter dado um beijo estalado em minha bochecha e de ter elogiado o perfume que eu borrifei calculadamente. “Surpresa!”, eu respondi. Pedi para que ela confiasse em mim e rumei em direção a um dos locais mais secretos de São Paulo. Não adianta! Eu não vou revelar onde fica. O que posso dizer é que lá, onde levei a moça, o verde predomina.

Após uma longa e esburacada estrada de terra, finalmente chegamos. E o meu primeiro susto não demorou a rolar: a moça, assim que desceu do carro, começou a andar como se estivesse pisando em brasa e portando cacos de vidro dentro da calcinha. “Que porra é essa?”, eu pensei. E perguntei sorrindo: “Está tudo bem?”. “Está. É que eu não quero sujar a minha sapatilha nova!”, ela respondeu, com cara de nojo e como se estivesse caminhando sobre uma trilha feita de merda de elefante. “E desde quando a grama suja a sapatilha de alguém?”, eu pensei, já prevendo que seria um dia daqueles. E foi.

“Está muito longe?”, ela me perguntou, depois de andarmos cerca de sete metros. “Não, fique tranquila, já estamos quase chegando!”. “Voilà!”, eu disse, assim que avistamos o cenário de piquenique que eu, horas antes, havia preparado com muito zelo. “Já volto, preciso pegar algumas coisas no carro!”, eu disse e fui buscar os alimentos perecíveis que estavam em meu porta-malas. Quando eu retornei, para a minha surpresa, ela ainda estava de pé e olhando fixamente para o chão, como se fitasse o interior de um banheiro químico judiado por intestinos soltos.

Sem exagero: ela demorou aproximadamente dez minutos para, finalmente, sentar na porra da toalha que eu havia estendido sobre a grama. E, ao invés de relaxar e de observar o lindo visual do local em que estávamos, ela ficou com cara de quem estava com medo de ter a periquita invadida por formigas saúvas. Ela não relaxava. E aquilo foi me deixando cada vez mais tenso.



Para piorar, eu fui completamente enganado pelo Climatempo: nuvens escuras, rapidamente, começaram a aparecer no céu. E logo caiu o primeiro pingo. Uma gota que deixou a moça em estado de completo desespero. Ela, sem pestanejar, esbugalhou os olhos, cobriu a cabeça com um waffle e disse: “Precisamos sair daqui!”. Irmão, você precisava ter visto a cara de pavor que ela fez! Eu só vi expressão semelhante em uma das cenas do filme Jurassic Park, motivada pela presença de um tiranossauro e não por uma gotinha de chuva. Quando o segundo pingo caiu, a moça já não estava mais lá. Arrumei tudo sozinho, corri para o carro, flagrei-a se maquiando com a ajuda de um pequeno espelho e, trinta minutos depois, para o meu alívio, deixei-a, sã e salva, em frente à casa dela. Nunca mais liguei. Nem ela.

Eu sei que a chuva estraga a chapinha. Sei, também, que nem toda maquiagem é à prova de água. Porém, quando a mulher, para manter o penteado intacto e a roupa higienizada, não se solta e passa a evitar qualquer possibilidade de diversão, eu, Ricardo Coiro, acho uma puta chatice.

Vaidade é importante, claro que é! Mas, em alguns momentos, em prol da construção de uma boa memória, ela precisa ser deixada de lado, esquecida.

Não estou exigindo que as moças mergulhem, sorrindo, em rios cheios de sanguessugas famintas. Também não estou propondo que a vaidade feminina seja completamente extinta. Nada disso! Apenas quero deixar aqui, neste texto, a minha admiração por mulheres que, quando o momento pede, deixam o cabelo bagunçar, o suor escorrer e a maquiagem borrar. Gosto – e muito! – das mulheres que, na hora do amasso, não estão nem aí para a camisa que acabou de ser passada. Estão me entendendo?

Já ouvi falar de mulheres que, até na hora do sexo, evitam se sujar. Como bem disse o comercial do Omo: “Se sujar faz bem!”. Despentear-se também. Borrar-se também. Ficar totalmente amassada também. Mil vezes pior do que uma mulher com o penteado bagunçado, acredite, é uma moça que diz “não” a todos os programas capazes de tirar os fios de cabelo do lugar. Como namorar uma mulher que fará um escândalo a cada chuva inesperada? Como? Como manter uma relação com uma moça que, só para não lascar a unha, dirá “não” quando você convidá-la para experimentar a adrenalina do rafting? Como se divertir ao lado de uma fêmea que, para não amassar a roupa, não entra em montanha-russa? Não é nada fácil. Gente assim fode o rolê!



Moças do meu Brasil, por favor, saibam que nós, homens, não ligaremos caso o cabelo de vocês, do nada, deixe de ser liso. Não estamos nem aí se a sua camisa ficar amassada como a de um bêbado. De verdade! Saibam, também, que adoramos quando vocês deixam a frescura de lado e aceitam nos beijar sem a presença de um guarda-chuva. É sério. A lama, com certeza, sairá da sua pele, mas a impressão ruim que vocês passam quando dizem “não” em nome de um penteado, acredite, impregna mais do que graxa.

Até pensei em também falar sobre o homem que, para não desmanchar o topete e não amassar a gola da camisa, prefere locais nos quais o vento não entra e transas milimetricamente calculadas, mas, se quer saber, ele não vale nem dois parágrafos.

Palmas para as moças que não têm medo de voltar pra casa sem um botão da camisa, com o joelho ralado e com o cabelo mais bagunçado do que banheiro de casa de praia superlotada.

Obs: É por isso que eu gosto de mulher que não tem medo de ficar molhadinha!

Via: Ricardo Coio


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Dois Jeitos de Ser - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: Daiane Santos ¬ Vitória Alves.
Tecnologia do Blogger.